Ofício foi entregue à Copasa no dia 29/12/2017, sexta-feira. Levando-se em consideração o final de semana e o feriado de 1º de janeiro, a Prefeitura, ainda, aguarda resposta.  

 

Nos últimos dias do mês de dezembro de 2017, a Secretaria Municipal de Saúde/departamento das Vigilâncias em Saúde Ambiental e do Trabalhador recebeu inúmeras reclamações quanto a qualidade da água disponibilizada pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) à população da cidade de Itamarandiba.

Relatos davam conta de que a água fornecida pela Concessionária estava chegando aos consumidores com aparência visivelmente amarelada e enlodada, sendo o fato motivo de debates e grande exposição nas redes sociais e nos veículos de comunicação da região.

Ante as denúncias e constatação da veracidade do exposto, a Prefeitura de Itamarandiba, por meio da Secretaria Municipal de Saúde/departamento das Vigilâncias em Saúde Ambiental e do Trabalhador, notificou a Copasa para que esta a apresentasse relatório contendo os resultados de análises diárias da água fornecida na sede do município nos últimos 04 (quatro) dias e, ainda, que informasse sobre as medidas adotadas pela Companhia para correção e/ou regularização da qualidade da água potável utilizada no abastecimento da cidade.

De acordo com o secretário municipal de saúde, Cledimar Ferreira Alves, coincidentemente desde os primeiros dias da incidência da água de cor turva começar a chegar às casas dos moradores as unidades de saúde de Itamarandiba têm registrado aumento significativo nos casos de diarreia e infecção intestinal. “A situação é extremamente preocupante; haja vista o crescimento no atendimento de pessoas com sintomas que indicam o consumo de algo nocivo a flora intestinal e existem indícios de que isso esteja ligado diretamente à qualidade da água distribuída por essa Companhia de Saneamento. Entretanto, isso é apenas uma suspeita; estamos investigando para saber o real motivo do caso.”, explicou o secretário.   

Em consonância a esse argumento, o executivo municipal não tem se omitido na busca de soluções para o problema. O prefeito Luiz Fernando vem acompanhando atentamente a questão do abastecimento de água na cidade; inclusive, em companhia do vice-prefeito, Lete Monteiro, e representantes da Copasa, esteve recentemente na Estação de Tratamento de Água da Estatal onde recebeu informações acerca da situação. “Somos solidários à nossa população e tão qual a ela estamos indignados e preocupados com a qualidade da água disponibilizada pela Copasa nesses últimos dias. Notificamos a Companhia e estamos esperando seu parecer.”, comentou Alves.

Vale destacar que o Ofício foi entregue à Copasa no dia 29/12/2017, sexta-feira.

Ernane Frois

ASCOM: Prefeitura Municipal de Itamarandiba  

Ao longo de uma década cinco redes pluviais, localizadas no principal Trevo de acesso à Itamarandiba, ficaram obstruídas. Com o entupimento das galerias enxurradas e lama desciam para a cidade, causando assim grandes transtornos à população.

 

A Prefeitura de Itamarandiba e o Departamento de Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG), com fundamental apoio da Copasa, realizaram nos dias 24 e 25 de maio a desobstrução de cinco galerias de contenção de enxurradas no trevo entroncamento das MG’s 117, 451 e 214; chegadas dos municípios de Coluna, Carbonita e Senador Modestino Gonçalves.

O prefeito itamarandibano, Luiz Fernando Alves, em companhia do engenheiro da Prefeitura, Otávio Augusto Menezes Della Testa, esteve no local acompanhando de perto os trabalhos de limpeza das redes pluviais que, segundo informações, estavam entupidas há cerca de 10 anos. Ele argumentou que a expurgação dos bueiros irá amenizar os transtornos causados com as enxurradas e lama que descem para dentro da cidade. “Contando com a parceria do DER/MG e Copasa, órgãos aos quais agradecemos, conseguimos retirar das cinco galerias quantidade considerável de lixo e lama que devido ao tempo que ali estavam já tinham petrificado; o que dificultou na conclusão dos trabalhos. Agora com a retirada do material sólido e volumoso que obstruíam as galerias o fluxo da água não será direcionado para os bairros próximos; evitando assim, os alagamentos que tanto prejudicam o cidadão.”, assegura Alves.

A desobstrução de redes pluviais é apenas uma das ações de contenção de enxurradas e lamas; o descarte do lixo deve ser feito com muito cuidado pela população; pois o despejo de rejeitos em vias públicas ou em locais inadequados contribui para grandes transtornos que coloca em risco a saúde pública.

Ernane Frois

Ascom : Prefeitura Municipal de Itamarandiba

Endereço

Rede Social