A implantação de um museu em Itamarandiba terá grande relevância na vida histórico cultural do município. Com ele a sociedade terá um espaço para realizar pesquisas, difundir a cultura e preservar a memória local.

 

Momento histórico para a cultura de Itamarandiba. Assim pode ser resumida a reunião realizada no gabinete da Prefeitura Municipal, no dia 12 de novembro de 2018, e que contou com a presença do prefeito, Luiz Fernando Alves, vice-prefeito, Lete Monteiro, médico historiador, Dr. Sebastião Gusmão, presidente da Câmara, Lourdes Gomes Vieira, vereadores e médico, Dr. Luiz Eduardo Miranda Gonzaga.

O encontro teve como objetivo a premissa da implantação do Museu Dr. Alphonse Pavie, grande ícone da moderna medicina de Minas Gerais que no início do Sec. XX trouxe à Itamarandiba um atendimento de saúde de nível científico europeu. Uma medicina comparável ao de seu país de origem, a França, e exercida pela elite médica de Juiz de Fora e Belo Horizonte, centros médicos do Estado naquela época.

De acordo com o médico historiador, Dr. Sebastião Gusmão, todo acervo está concluído faltando apenas o espaço físico para que o memorial seja implantado de maneira definitiva. Ainda, segundo Gusmão, o lugar mais apropriado para a instalação do museu seria o imóvel onde funcionou a antiga Santa Casa de Misericórdia de Itamarandiba; o prédio, projetado e construído em 1.911 pelo próprio Dr. Alphonse, é cópia do Hôtel-Dieu (Casa de Deus) considerado o mais antigo hospital da cidade de Paris; nele estudou os patriarcas Pavie. “Foram anos de pesquisas que resultaram na compilação de vasto material fotográfico, manuscritos, objetos e outros itens que merecem ser preservados e colocados à disposição do público. O que nos falta para criarmos o Museu Alphonse Pavie é o espaço físico; e tenho para mim que o lugar mais apropriado para tal seja o imóvel da antiga Santa Casa onde hoje funciona a Prefeitura Municipal e que em anos remotos serviu de ambiente para atendimento de inúmeras pessoas que até então eram carentes de qualquer atenção médica.”, explicou.

Construída no início do Sec. XX, tendo como referência arquitetônica o Hôtel-Dieu de Paris, a antiga Santa Casa de Misericórdia de Itamarandiba hoje é edifício sede da Prefeitura Municipal.

 

Ao ressaltar a importância de se criar em Itamarandiba um espaço que servirá de instrumento de preservação da memória cultural, o prefeito Luiz Fernando, em consenso com os representantes do Legislativo Municipal, demonstrou grande interesse em estabelecer junto ao Dr. Sebastião Gusmão parceria que viabilize a implantação do Museu Dr. Alphonse Pavie. “Esse encontro é apenas o embrião de algo muito grande e valioso que virá para salvaguardar a conexão existente entre passado, presente e futuro do nosso povo. E com a união da Prefeitura e Câmara, aqui representada por 11 vereadores, com certeza iremos alcançar nosso objetivo.”, diz Alves.

Entretanto, o chefe do executivo observou que o imóvel vislumbrado para o projeto é de propriedade da Aperam BioEnergia. Sendo assim, o prefeito se comprometeu em procurar a empresa para dialogar e chegar a um acordo para que importante memorial seja instalado na cidade. “Acreditamos que o imóvel da antiga Santa Casa seja o ideal para abrigar o rico acervo que retrata a história de um homem que estava à frente do seu tempo. O local está em boas condições de uso; necessitando apenas de pequenos reparos. Feita essa aliança de apoio, o próximo passo é procurarmos a Aperam BioEnergia para apresentar à ela a importância que o projeto tem dentro da conjuntura histórica cultural do nosso município.”.

Além do prefeito, vice-prefeito e médicos, fizeram-se presentes ao encontro os vereadores: Ciderlei Cena, Marcinho do Waltão, Vicentinho Mecânico, Douglas Gandra, Delei do Contrato, Juvenal Pedreiro, Nei Barrela, Eduardo Moreira, Lourdes Gomes, Valdir Pedreiro e Heli Nunes.     

 

Ernane Frois

Ascom: Prefeitura Municipal de Itamarandiba

 

 

As alterações realizadas no Programa Assistencial de Alívio Imediato à Pobreza Extrema no Município de Itamarandiba foi tema de debate na tarde de segunda-feira (30), na Câmara Municipal. A audiência, realizada a pedido da Prefeitura junto à Presidência da Casa Legisladora; contou com a presença do Prefeito Luiz Fernando Alves, Presidente da Câmara Municipal, Lourdes Gomes, Vereadores, Secretário de Desenvolvimento e Assistência Social, Gabriel Fátima Santos, representante da Procuradoria do Município, Dr. Pedro Afonso Fernandes e, ainda, com a participação de dezenas de beneficiários que a convite da Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social, gestora do programa, juntamente com o Conselho Municipal de Assistência Social, lotaram o Plenário José Sena Neto e tiveram a oportunidade de sanar dúvidas e conhecerem melhor os objetivos e inovações do Projeto.

Criado em 2009, o Programa conferi, por meio de critérios objetivos como a análise da renda per capta do grupo familiar, um benefício assistencial às pessoas em condições de vulnerabilidade social e econômica. No entanto, o programa passa por atualizações a fim de preservar-lhe a natureza eminentemente assistencial e humanitária e, sobretudo, para assegurar a dignidade e integração social dos beneficiários.

O Secretário Gabriel Santos explicou, aos presentes, que atualmente mediante ao preenchimento de vários requisitos, dentre os quais está a inserção em atividades no âmbito da administração, à frequência escolar, à realização de exames como o pré-natal e o acompanhamento de saúde; aos beneficiários do programa é assegurada a transferência direta de pequena renda custeada pelo próprio Município. Levando em consideração esses parâmetros, o Secretário ressaltou que, neste ano, a Administração Municipal identificou alguns pontos na disciplina e execução do Programa que necessitavam com urgência ser revistos, com destaque para a defasagem do valor do benefício, a carga horária excessiva das atividades executadas pelos beneficiários e a carência de oferta de meios de empoderamento do cidadão, no âmbito do programa, para superação da condição de pobreza. “Detectamos e estamos trabalhando para solucionar o problema. O Executivo Municipal editou Medida Provisória que, ainda, será objeto de análise pela Câmara Municipal. Contudo, já existe força de Lei até a deliberação da Casa Legislativa.”, ponderou Santos.

Apesar do recesso parlamentar, que termina no próximo mês, vários vereadores participaram da reunião e se mostraram grandes interessados na realidade e atualizações do programa, visto que, em breve, irão apreciar a Medida Provisória.

Os legisladores tiveram a oportunidade de esclarecer e pontuar questões trazidas pelas alterações na Medida Provisória e pelo novo regulamento do Executivo, dentre os quais destacam-se: a redução da carga horária das atividades desempenhadas pelos beneficiários que passa de até 08 (oito) para no máximo 4 (quatro) horas; o reajuste do benefício de R$ 200,00 (duzentos reais) para R$ 240,00 (duzentos e quarenta reais) e, em especial, inova-se na obrigatoriedade do beneficiário a participar de cursos, palestras, oficinas e ou meios de aprendizagem, ao menos 2 (duas) vezes na semana, somando-se carga horária mínima de 06 (seis) horas/semanais, a ser ofertados pela Prefeitura por meio de suas Secretarias e parceiros.

Ernane Frois

ASCOM: Prefeitura Municipal de Itamarandiba

                 

Endereço

Canal de vídeos

Rede Social