DESTAQUE

DESTAQUE (4)

Servidoras da UBS do distrito de Contrato recepcionaram com muito carinho a nova médica da unidade, Dra. Joane Quaresma, e a coordenadora Luciana Piovezan.     

 

Na manhã do dia 12 de dezembro, a coordenadora da atenção primária da saúde, Luciana Piovezan, esteve no distrito de Contrato para apresentar à população local a clínica geral, Dra. Joane de Souza Quaresma, que, a partir de amanhã, 13/12, será a nova médica da Unidade Básica de Saúde Sebastião Rodrigues Pinto.

Natural de Araçuaí, Quaresma foi contratada pela Prefeitura de Itamarandiba, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, para atender a população contratense, bem como os demais moradores das comunidades circunvizinhas ao distrito.

Durante a visita, a médica conheceu as instalações da Unidade de Saúde e os servidores municipais que ali trabalham. Ao proferir palavras de boas-vindas à nova contratada, a coordenadora Luciana ressaltou que a área da saúde é uma das bandeiras prioritárias na Atual Gestão Municipal; sendo assim, ela solicitou que a dedicação e comprometimento sejam as diretrizes para que a população local tenha um atendimento humanizado e satisfatório.

 

Ernane Frois

ASCOM: Prefeitura Municipal de Itamarandiba

Dra. Betsy León e Dr. Juan Godoy receberam do vice-prefeito, Lete Monteiro, e secretário de saúde, Antonio Andrade, o reconhecimento pela importância que ambos tiveram na vida do povo de Itamarandiba. Além dos dois doutores, outros 05 médicos compatriotas deles, que prestaram serviços em Itamarandiba, também, foram lembrados.   

 

A Secretaria de Saúde de Itamarandiba prestou, na tarde de quarta-feira, 28/11, justa homenagem aos médicos Dr. Juan José Godoy e Dra. Betsy León; ambos são cubanos, prestaram relevantes trabalhos à população itamarandibana e estão de saída do país após o governo de Cuba decidir pelo encerramento do programa social “Mais Médicos” no Brasil.

A cerimônia de despedida, realizada no espaço de reuniões da Secretaria Municipal de Cultura, contou com a presença do vice-prefeito de Itamarandiba, Lete Monteiro, no ato representando o prefeito Luiz Fernando, secretário municipal de saúde, Antônio Andrade, coordenadora da atenção primária, Luciana Piovezan, procurador do município, Pedro Afonso, e de profissionais da saúde que atuam nos ESf’s de Penha de França e Contrato, distritos  onde os dois médicos atendiam e nutriram grandes amizades.

Além de representantes do executivo municipal, várias pessoas, dentre elas servidores dos ESF’s de Penha de França e Contrato, fizeram questão de dar um abraço fraternal aos médicos Dr. Juan e Dra. Betsy.  

 

Durante a solenidade, a emoção ficou evidenciada no tom das vozes dos dois cubanos e no testemunho de alguns participantes. O secretário, Antonio Andrade, agradeceu o carinho e a dedicação da Dra. Betsy e Dr. Juan para com a população de Itamarandiba e fez questão de falar a respeito da saída dos cubanos da rede pública e o impacto que isso trará no atendimento aos pacientes brasileiros. “Criado em 2013, no governo da presidenta Dilma, o Programa Mais Médicos foi um marco na história da saúde pública do nosso país. Ele preencheu a carência de médicos nos rincões do Brasil; mais que isso: levou dignidade e respeito às comunidades ribeirinhas, quilombolas, aos moradores de todos os municípios do interior e das periferias dos grandes centros. Com certeza a saída desses profissionais é um retrocesso no direito à saúde e deixará uma lacuna que dificilmente será preenchida.”, comentou Andrade.

Os médicos cubanos: Jorge Luis Pérez, Farah Mercerón, Yolainy Quintana, Jorge Félix Prat,  Ivan Crespo, Juan José Godoy e Betsy León prestaram relevantes serviços ao povo de Itamarandiba. Eles atenderam na sede municipal, nos distritos e nas inúmeras comunidades existentes no extenso território itamarandibano.

 

Até dias antes ao fim do acordo entre Cuba e Brasil, cerca de 8.500 médicos cubanos  prestavam serviços em solo brasileiro. À Itamarandiba, nos 05 anos de existência, o programa disponibilizou 07 profissionais; sendo, além de Dr. Juan e Dra. Betsy, os médicos: Dr. Ivan Crespo, Dra. Yolainy Quintana, Dr. Jorge Félix Prat, Dr. Jorge Luis Pérez e Dra. Farah Mercerón (estes já haviam deixado o município itamarandibano). Os 07 profissionais levaram à população de Itamarandiba um atendimento diferenciado e humanizado; por isso mesmo, a eles ficam a gratidão, admiração e o reconhecimento da Prefeitura, Secretaria Municipal de Saúde e de toda a comunidade.

 

 

Ernane Frois

Ascom: Prefeitura Municipal de Itamarandiba

Durante reunião, prefeito Luiz Fernando afirmou que, caso não adotasse tal medida, todos os servidores municipais seriam prejudicados.

 

A grave crise financeira que afeta os municípios mineiros fez com que a Prefeitura Municipal de Itamarandiba adotasse medidas que possam garantir o pagamento de dezembro e o 13º salário dos servidores municipais. Dentre as ações definidas pelo executivo municipal está o corte de gratificações, comissões e a exoneração de servidores comissionados.

 

A notícia foi confirmada pelo prefeito de Itamarandiba, Luiz Fernando Alves, durante reunião, realizada na sexta-feira, 23/11, que contou com a presença das partes interessadas. Na ocasião, Alves apontou em gráficos explicativos a real situação das finanças do município itamarandibano; que se agravou com os constantes atrasos no repasse de recursos provenientes do Governo do Estado. A dívida do Governo de Minas com Itamarandiba ultrapassa 11,5 milhões de reais.

Prefeitura adota medidas para garantir pagamento do 13º e salário de dezembro de aproximadamente 1.300 servidores municipais.

 

Com a decisão, a Gestão Municipal espera enxugar aproximadamente 300 mil reais na folha de pagamento. O prefeito Luiz Fernando afirmou que lamenta a situação dos servidores e seus familiares, entretanto destacou que, caso não adotasse tal medida, os vencimentos, de todo o quadro de funcionários, ficariam comprometidos. “Buscamos de todas as maneiras evitar que a situação chegasse a esse ponto. Mas, infelizmente não encontramos outra saída que apresentasse melhores resultados econômicos. Ou fazemos os cortes ou não haverá dinheiro para quitarmos o salário de dezembro e o 13º. Nossa responsabilidade e comprometimento em honrar os compromissos fizeram com que tomássemos difícil decisão.”, lamentou Alves.

 

Entre efetivos e contratados, a Prefeitura Municipal de Itamarandiba possui em seu quadro de funcionários 1.290 pessoas. Com estes, são gastos cerca de 2,5 milhões de reais (contabilizados os encargos).

 

Ernane Frois

Ascom: Prefeitura Municipal de Itamarandiba

 

Prefeitos de vários municípios protestam em frente à ALMG. Prefeito de Itamarandiba, Luiz Fernando, afirma que a falta de repasses, por parte do Governo Estadual, culminou no atraso do pagamento dos professores municipais.  

 

Na última terça-feira, 20, prefeitos dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri fizeram um protesto contra o atraso de repasse de recursos do governo de Minas Gerais aos municípios. Os gestores montaram acampamento em frente à portaria principal da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) e prometem ficar acampados até que o governo estadual dê algum retorno sobre a falta de recursos.

O prefeito de Itamarandiba, Luiz Fernando Alves, participa do movimento e tem demonstrado grande preocupação com a situação. Ele exemplificou sua apreensão em posse de dados divulgados pela Associação Mineira de Municípios (AMM) que apontam uma dívida de R$ 11.559.381,39 (onze milhões, quinhentos e cinquenta e nove mil, trezentos e oitenta e um reais e trinta e nove centavos) do Governo de Minas Gerais para com o município itamarandibano.

De acordo com o prefeito Luiz Fernando, em Itamarandiba o setor mais afetado é o da Educação, visto que os professores não receberam o valor integral dos vencimentos referente ao mês de outubro, além disso, a verba para serviço de Transporte Escolar e área da Saúde também não foi repassada. “Todos sabem que a nossa Administração passa pela pior crise financeira de todos os tempos. No entanto, estamos firmes trabalhando pelo desenvolvimento da nossa cidade. Mas, é importante as pessoas saberem que se o Estado de Minas Gerais não repassar os recursos, que são de direito dos municípios, poderá haver um colapso em todas as cidades do Estado. Em Itamarandiba já encontramos dificuldades para pagar salários e fornecedores. São mais de 11 milhões de reais de dívidas com o nosso município, e os valores do FUNDEB e ICMS não foram repassados nesta semana.”, desabafou Alves.

Levantamento feito pela AMM detalha o débito do Governo de Minas para com o município de Itamarandiba. A dívida ultrapassa 11,5 milhões de reais.

 

Ernane Frois

Ascom: Prefeitura Municipal de Itamarandiba

Endereço

Rede Social