Para tentar salvar HNSS, 32 prefeitos da região se uniram na busca de recursos. A comitiva já solicitou ajuda ao Governo do Estado e deputados.

 

No dia 28 de novembro a Administração Provedora do Hospital de Nossa Senhora da Saúde (HNSS), instalado em Diamantina e que presta relevantes serviços aos municípios do Vale do Jequitinhonha, divulgou Ofício informando que a entidade, a partir da próxima sexta-feira (01 de dezembro), não atenderá em nenhuma de suas clínicas e manterá suas portas fechadas, cuidando apenas dos pacientes já internados e buscando suas transferências. No documento é explicado, ainda, que a medida se faz necessária em função de a instituição não possuir condições financeiras para honrar os compromissos firmados com o corpo clínico e que a situação pode se agravar, inclusive, com a paralisação do Hospital.

Ante a essa preocupante notícia o presidente da Associação dos Municípios da Microrregião do Alto Jequitinhonha (AMAJE), prefeito de Itamarandiba, Luiz Fernando Alves, e o presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Alto Jequitinhonha (CISAJE), prefeito de Diamantina, Juscelino Brasiliano Roque, em companhia de mais 30 prefeitos da região, reuniram-se, em caráter de urgência, com o secretário de Estado de Saúde, Sávio Souza Cruz. O encontro aconteceu na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, no mesmo dia da divulgação do Ofício, 28 de novembro, e serviu para que a comitiva, formada por diretores do HNSS, 32 prefeitos, vereadores e secretários municipais da região jequitinhonhense, reivindicasse recursos que possam dar sobrevida ao Hospital.

Com 114 anos de existência, o HNSS, entidade filantrópica administrada pela Irmandade Nossa Senhora da Saúde, há muitos anos enfrenta dificuldades financeiras. Dívida hoje está na casa dos 18 milhões de reais.

 

Ao explicar a importância do HNSS na vida dos jequitinhonhenses, o presidente do CISAJE, Juscelino Roque, lembrou que além dos 40 médicos e 237 funcionários, a unidade possui 82 leitos, dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sendo oito leitos de UTI Neonatal e dois leitos de UTI Pediátrico. “Pela primeira vez, conseguimos que os prefeitos da região atuassem em um esforço conjunto para tentar manter a unidade funcionando. O hospital atende várias especialidades e a população de toda a região. Seu fechamento será uma tragédia na saúde.”, afirmou Roque.

De acordo com recentes levantamentos constatou-se que o Hospital possui uma dívida de 18 milhões de reais, incluindo aí salários dos médicos; os quais não recebem á dois meses. Nesse contexto, o presidente da AMAJE, Luiz Fernando Alves, argumentou que a preocupação dos chefes do executivo municipal da região não se restringe apenas ao Hospital Nossa Senhora da Saúde; visto que a Santa Casa de Diamantina, também, tem enfrentado grandes problemas de ordem econômica, com isso ambas correm sérios riscos de serem fechadas. “Localizadas em Diamantina, as duas entidades, que atendem a mais de 300 mil pessoas de nossa região; incluindo os 35 mil Itamarandibanos, têm passado por sérias dificuldades em razão da falta de recursos. Recentemente Itamarandiba assumiu o compromisso de prestar ajuda financeira para que continuem com suas atividades. Entretanto, esperamos que essa ajuda, também, venha de outros municípios, do Governo do Estado e da União.”, comentou o presidente da AMAJE, Luiz Fernando.

Durante o encontro com o secretário de Estado, Sávio Souza, os 32 prefeitos presentes  assinaram e entregaram documento solicitando ao governador do Estado, Fernando Pimentel, e a secretários do seu governo, o repasse, em caráter de urgência, de R$ 1,2 milhão para evitar o fechamento do hospital.

Ernane Frois

Ascom: Prefeitura Municipal de Itamarandiba

 

Publicado em Saúde

Comitiva liderada pelo presidente da AMAJE, prefeito de Itamarandiba, Luiz Fernando Alves, foi recebida pelo reitor da UFVJM, Sr. Gilciano Saraiva.  Em reunião, discutiu-se a necessidade da criação de um plano de desenvolvimento para o Vale do Jequitinhonha.

 

O reitor da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Sr. Gilciano Saraiva Nogueira, recebeu, na última terça-feira (25/04), na sala de reuniões da instituição, em Diamantina, vários prefeitos ligados à Associação dos Municípios da Microrregião do Alto Jequitinhonha (AMAJE).

A comitiva, liderada pelo presidente da Associação, prefeito de Itamarandiba, Luiz Fernando Alves (PTdoB), foi formada pelos prefeitos Orlando Cordeiro (PDT), de Aricanduva;  Carlinhos Barbosa (PTB), de Turmalina; João Dumont (PSDB), de São Gonçalo do Rio Preto; Nivaldo Moraes “Nico” (PSDB), de Carbonita; Gonçalo Valdivino Pereira “Teco” (PT), de Datas; José Marcos Alves Guimarães (PMDB), de Couto de Magalhães de Minas; e Ricardo Rocha (PSDB), de Felício dos Santos. A reunião foi acompanhada, também, pelo Assessor de Assuntos Estratégicos e Institucionais da UFVJM, Sr. Cássio de Jesus Cardoso; responsável pela pasta denominada "Projeto Espaço dos Municípios", organizadora dessa mobilização.

Com objetivo de alavancar possíveis parcerias e debater ações que viabilizem estudos nas áreas da silvicultura, fruticultura, produção leiteira, dentre outras; o encontro serviu para que o reitor, Gilciano Saraiva, apresentasse aos chefes do executivo o projeto de parceria entre a universidade e o Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG) que será lançado em breve.

De acordo com ele, tal parceria fará com que o IFNMG e UFVJM trabalhem de forma organizada, com o objetivo de contribuir com o desenvolvimento econômico e a transformação social nas regiões de abrangência das instituições – Vales do Jequitinhonha e do Mucuri e regiões norte e noroeste de Minas.

Reunião teve por objetivo unir AMAJE e UFVJM. Parceria deve buscar alternativas que viabilizem estudos que contribuam para o desenvolvimento econômico e social dos municípios jequitinhonhenses.

 

Para tanto, o reitor defendeu que os municípios façam projetos traçando um plano de desenvolvimento de abrangência regional e completou: “A partir de demandas geradas pelos municípios, as instituições trabalharão para integrar as ações de ensino, pesquisa, extensão e gestão, a fim de potencializar os recursos para atendê-las.”, diz. 

O presidente da AMAJE, prefeito de Itamarandiba, Luiz Fernando, realçou o compromisso da instituição na busca constante pela valorização do Vale do Jequitinhonha no cenário político e reiterou que a união dos prefeitos é primordial para que os municípios jequitinhonhenses possam colher grandes benefícios. “A verdade é que precisamos unir forças para cobrar dos nossos deputados e dos Governos Estadual e Federal mais atenção às demandas da nossa região. Ao propor nos ajudar na área da pesquisa e outras mais, a UFVJM está fazendo a parte dela. Caberá a nós levarmos os tais estudos e mostrarmos aos deputados e governantes as nossas potencialidades. No entanto, para isso é preciso entender que não há força política sem união.”, argumentou o presidente.   

Presidente da AMAJE, prefeito de Itamarandiba, Luiz Fernando, alertou quanto à importância da união dos municípios. Para ele, o Vale do Jequitinhonha merece e precisa ter maior atenção dos Governos Estadual e Federal.

 

Todos os prefeitos participantes tiveram a oportunidade de se expressarem e contribuíram com o sucesso do encontro. Ao final foi proposto que os municípios criem grupos de trabalhos, estes auxiliados por pesquisadores da universidade, para que se faça levantamento de demandas, estudos de viabilidade e potencial da região. Com data a ser definida, o próximo encontro contará com a participação de professores e pesquisadores da UFVJM.

 

Ernane Frois

ASCOM: Prefeitura Municipal de Itamarandiba

Publicado em Institucional

Endereço

Rede Social